Página Inicial / Fique por dentro / Notícias / 2020 / Maio / Webinar traz debate sobre os desafios nos investimentos em tempos de crise

Webinar traz debate sobre os desafios nos investimentos em tempos de crise

Brasília, 15 de maio de 2020

Facebook Twitter Google + LinkedIn WhatsApp

Com o intuito de proporcionar segurança e transparência aos mais de 96 mil participantes durante este período de incertezas, a Entidade promoveu o segundo webinar Bate-Papo Funpresp, com o tema “Investimentos em tempo de covid-19 : O que é preciso fazer”. Realizado no dia 12 de maio, participaram do debate o diretor de Investimentos da Fundação, Tiago Dahdah, e o economista Aquiles Mosca, diretor do banco BNP Paribas.

O objetivo da série de bate-papos é trazer para o debate as mudanças decorrentes da crise econômica, social e sanitária, causada pelo novo coronavírus, que podem afetar o sistema de previdência complementar. O próximo webinar está programado para o dia 26/05, com o tema “Os caminhos da previdência do servidor – cobertura para benefícios de riscos”. O horário será divulgado em breve.

Você pode assistir aos Bate-papos Funpresp na íntegra, com cerca de 1h de duração, pela TV Funpresp, nosso canal no YouTube.

Confira abaixo os principais pontos da conversa sobre investimentos:

Adaptações diante do novo cenário

Tiago Dahdah – “Comprar ativos financeiros a preços atrativos, no cenário atual, parece ser uma atitude errada no curto prazo, mas para aqueles que possuem um objetivo de investimento bem definido, de médio ou de longo prazo, e que não esperam gratificação imediata, é a melhor opção. A Funpresp realizou esse movimento em plena pandemia, pois possuíamos um nível elevado de ativos de alta liquidez, em torno de 20% do total da carteira em janeiro e reduzimos pela metade, para algo em torno de 10% do total da carteira em abril. Os recursos financeiros obtidos pela venda, foram realocados em títulos públicos federais, em ações domésticas e em ações estrangeiras”.

“Não é o curto prazo que deve nos guiar. Mas, se chegarmos à conclusão de que este cenário é o ‘novo normal’, vamos revisar nossa atuação. Mas ainda não é o caso”.

Aquiles Mosca – “O impacto dessa pandemia sobre a atividade econômica foi muito forte e inesperado. Com base no cenário que estava previsto para este ano, com perspectiva de crescimento superior ao de 2019, estávamos muito alocados em carteiras de ações em setores voltados a atividade econômica doméstica (varejista e construção civil, por exemplo). Com a pandemia, reorientamos as carteiras para setores da economia mais digitalizados, que estão sendo favorecidos por essa nova dinâmica de home office e vendas por canais digitais”.

 

Momento certo para investir

Aquiles Mosca – “Não tente procurar o melhor momento para fazer aplicações, geralmente o melhor momento sempre foi ontem. Em se tratando do investimento na Funpresp, estamos falando de aportes para a aposentadoria, de investimento a longo prazo. Sua preocupação deve ser investir nas carteiras que estão adequadas ao seu objetivo, ao seu horizonte de investimento e ao seu perfil de risco. A recomendação é de ter disciplina e caso tenha uma aplicação a fazer, faça sem tentar acertar o melhor momento”.

Tiago Dahdah – “A primeira análise que você precisa realizar é quanto ao seu nível de liquidez. Conforme a sua realidade, você possui um fundo emergencial de acesso rápido, caso precise? Se sim, o momento de investir é agora. Os preços dos ativos estavam muito inflados e os ajustes que ocorreram abriram uma oportunidade que muitos esperavam. Mas lembre-se, não conte com gratificações no curto prazo ou resultados no curto prazo. Invista conforme o seu objetivo de investimento”.

 

Influência da queda do mercado de ações

Tiago Dahdah – “O desempenho negativo da Fundação (-4,28%, em março) veio dos segmentos de renda fixa e renda variável doméstica. Se consideramos os ativos financeiros marcados a mercado destes dois segmentos, estamos falando de um pouco mais de 60% da carteira que estava suscetível à oscilação de mercado no mês de março. Desse modo, não foi somente a queda de 36% do mercado de ações que afetou negativamente os rendimentos, mas também a oscilação negativa de 2% da parcela de renda fixa marcada a mercado, inclusive títulos públicos federais. Vale ressaltar, porém, que em abril a Fundação já apresentou uma recuperação significativa, com rentabilidade positiva de 1,21 no consolidado”.

 

Principais erros do investidor no momento

Aquiles Mosca – “Um viés que, nesse instante, está atuando com uma força muito grande é a influência de informações recentemente recebidas, como, por exemplo, a queda de 36% da bolsa de valores em março. Não tem investidor que não seja impactado por esse acontecimento. A questão é que isso leva muitos a tomarem decisões erradas, são levados a resgatar seus investimentos, querer trocar de perfil, vendendo barato e migrando para algo mais conservador. Um investimento bem feito, bem organizado, não deveria ser impactado simplesmente porque o mercado subiu mais ou caiu menos naquele mês. Enfrentar flutuações faz parte da vida do investidor que corre riscos na busca por um retorno maior”.

 

Escolha de fundos de investimentos e processo decisório

Tiago Dahdah – “A seleção dos fundos ocorre via licitação, conforme determina a lei nº 12.618, de 2012. (...) Com relação ao processo decisório (dos investimentos), todas as propostas são analisadas observando a regulação (Resolução CMN 4661 e IN Previc nº 06, de 2018) e as políticas de investimentos vigentes. As políticas atuais não nos dão autorização para investir diretamente em ações, mas apenas por meio dos fundos contratados, que possuem expertise e estrutura para selecionar de forma técnica as ações, conforme o mandato que lhes foi dado. Internamente na Funpresp, todas as propostas são avaliadas pela equipe técnica e após uma recomendação positiva, a proposta vai ao Comitê de Investimentos e Riscos que emite uma recomendação de deferimento ou indeferimento à Diretoria Executiva. Dependendo do volume a ser investido, a Diretoria Executiva já decide pela aplicação ou não, mas há casos que a proposta é encaminhada ao Conselho Deliberativo. Há todo um fluxo na governança para cumprir antes de realizar o investimento”.

 

Quer saber mais sobre seus investimentos?

Acesse a seção “Conheça nossos investimentos” para conferir como funciona a Política de Investimentos, quais segmentos a Funpresp pode investir, qual a composição das carteiras Performance e Preservação e o resultado da rentabilidade de cada perfil. Para conferir ativo por ativo, acesse a pasta “Carteira consolidada dos investimentos”, em “Demonstrativos de investimentos”.