Em maio, a política de redução na taxa de carregamento da Funpresp vai beneficiar 158 participantes dos planos de benefícios administrados pela Entidade. São servidores que completam seis anos de adesão e, por isso, fazem jus à diminuição de 7% para 5% na cobrança. A medida vai favorecer um total de 2.238 participantes até o fim de 2019.

A queda na taxa começou em abril, quando 140 participantes tiveram o benefício. A redução foi possível devido ao alcance do ponto de equilíbrio entre as despesas e receitas da Fundação, ocorrido em outubro do ano passado e auditado por empresa independente por ocasião do balanço de 2018. A redução nos custos administrativos da Entidade se traduz em mais recursos para as contas individuais dos participantes.

Taxa de carregamento – O percentual incide sobre a contribuição mensal (ainda não cotizada) do participante, que é definida no momento da adesão. Os recursos provenientes desta taxa são destinados exclusivamente ao pagamento dos custos de operação da Fundação. Por ser uma entidade sem fins lucrativos, esta é a única taxa cobrada pela Funpresp.

É importante destacar que a Funpresp não cobra taxa de administração, aquela que incide sobre o patrimônio anual do plano de benefícios, cobrada pelos bancos na contratação de PGBL e que chega à proporção de, em média, 2% a.a. se comparada ao PGBL, que costuma cobrar administração e carregamento. As projeções indicam que a taxa praticada pela Funpresp, em 30 anos equivaleria a 0,14% de uma taxa de administração.