Brasília, 27/10/2017 – As ações para o futuro da Funpresp foram traçadas nesta semana por gestores, colaboradores e membros dos órgãos colegiados no evento de revisão do Planejamento Estratégico Institucional. Realizado em Brasília, nessa quinta (26) o encontro celebrou a marca de 50 mil adesões e levou os integrantes a refletirem quais os próximos desafios e oportunidades da Fundação.

“Falar de futuro num fundo de previdência complementar é essencial, pois é uma Entidade que precisa pensar o que vai acontecer daqui a 30 anos. Esse planejamento anual ajuda o fundo a chegar lá na frente mais saudável e com condições de cumprir sua missão”, comentou o membro do Comitê de Assessoramento técnico do ExecPrev, professor Bolívar Godinho.

O evento contou com a presença de gestores e funcionários da Fundação, além de representantes dos participantes e dos patrocinadores, que são membros dos conselhos Deliberativo e Fiscal e dos comitês ExecPrev e LegisPrev. Ao longo do dia, foi feita prestação de contas e análise da execução do Plano de Ação Anual de 2017.

As atividades desenvolvidas ao longo do ano contribuíram para que a Fundação alcançasse patrimônio de R$ 660 milhões. “São R$ 30 milhões em contribuições por mês. A taxa de adesão anual hoje é de 98%. Esses números mostram um crescimento exponencial, o que nos leva a uma responsabilidade ainda maior de prezar pelas boas práticas para garantir o futuro da Funpresp”, analisou o diretor-presidente, Ricardo Pena.

Para embasar o planejamento, foi feita uma análise da conjuntura atual pelo diretor do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), Antônio Augusto de Queiroz. Em seguida, foram realizadas oficinas nas quais os participantes do evento fizeram propostas para o Plano de Ação Anual de 2018 com base nos Objetivos Estratégicos.

De acordo com o presidente do Conselho Fiscal, José Márcio Costa, a revisão do planejamento é fundamental. “Temos muitos desafios pela frente, como as propostas de reforma da Previdência e de criação do PrevFederação, a migração de Regime Previdenciário, entre outros temas que afetam diretamente a Fundação. A Funpresp precisa estar preparada para todas essas possibilidades”, afirmou.

As propostas de ações para 2018 seguem agora para a Gerência de Planejamento e Risco, e, em seguida, para deliberação da Diretoria Executiva. O Plano de Ação Anual guia o trabalho de toda a equipe da Fundação ao longo do período com repercussão no orçamento anual.