Brasília, 26/04/2017 – A Funpresp lançou, nesta quarta-feira (26/04), a nova marca que vai ditar os rumos da Fundação. Caracterizada como uma Entidade parceira, agregadora, que estará ao lado de seus participantes por toda a vida, a Fundação ganhou cara nova no evento de comemoração do aniversário de 4 anos, com a presença de participantes, representantes dos patrocinadores, membros dos colegiados da Funpresp, colaboradores e entidades parceiras.

Para celebrar, os convidados puderam assistir a uma palestra da filósofa, escritora e psicanalista Viviane Mosé. Também foi lançado o Relatório Anual de 2016 e foi entregue o Prêmio Parceiro Funpresp 2017 a representantes das áreas de gestão de pessoas dos patrocinadores dos Planos ExecPrev e LegisPrev.

“Essa nova marca mostra a consolidação da Funpresp como uma Entidade respeitada, uma parceira para toda a vida, e abre os horizontes para os desafios que ainda estão por vir”, resumiu o diretor-presidente da Fundação, Ricardo Pena. Ele destacou a importância de cada um dos 41.671 participantes e da parceria dos 205 patrocinadores para o crescimento da Funpresp que hoje já alcançou R$ 503 milhões de patrimônio líquido.

Aniversário de 4 anos – Compuseram a mesa do evento o diretor-substituto de Fiscalização e Monitoramento da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), Sérgio Djundi; o secretário de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho (SEGRT) do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP), Augusto Chiba; e subsecretário do Regime de Previdência Complementar do Ministério da Fazenda, Paulo César dos Santos.

Paulo César falou sobre o crescimento da Entidade nesses 4 anos e ressaltou a necessidade de participação dos servidores públicos na gestão da Funpresp. “Se não houvesse o engajamento dos participantes no acompanhamento, no apoio e até na cobrança, com certeza a Funpresp não teria alcançado o sucesso de hoje”, afirmou.

O suporte dos gestores de Recursos Humanos dos órgãos patrocinadores também foi destacado no evento pelo secretário da SEGRT, Augusto Chiba. “Os gestores de RH são os responsáveis por levar a mensagem da previdência complementar ao servidor, é o primeiro contato, a porta de entrada. O servidor ouve com mais atenção quando a informação parte do próprio órgão. Por isso esse trabalho é tão importante.”

Prêmio Parceiro Funpresp 2017 – Para homenagear os órgãos patrocinadores que mais colaboram com a divulgação das informações junto aos servidores, a Fundação entregou, no evento, o Prêmio Parceiro Funpresp. Foram homenageados seis órgãos, cujos representantes receberam um troféu. Veja abaixo os homenageados:

Viviane Mosé – A doutora em Filosofia pelo Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e professora há mais de 30 anos, Viviane Mosé, encerrou o evento com a palestra “Manual de Sobrevivência no Mundo Contemporâneo”.

Ela falou sobre os desafios da sociedade atual, que passou a seguir um novo modelo de organização: a comunidade em rede. “A gente vivia um modelo que era mecanicista, éramos todos uma peça que fazia a engrenagem girar. Hoje isso mudou. Com a tecnologia, tudo virou uma grande rede, na qual todos têm voz”, afirmou. Otimista, Viviane acredita que o mundo está caminhando para uma sociedade mais ética, mais leve. Porém, alerta: “temos que preparar o espírito, porque o que vem no meio pode ser catastrófico.”

Para que as pessoas não se percam no mundo virtual, da tecnologia, a filósofa aconselha um maior envolvimento com “as coisas físicas”. “Às vezes é uma pausa para um café, um momento no parque, uma conversa com um amigo… Não precisamos sair do virtual, mas temos que ter uma conexão com pequenas coisas reais, palpáveis, que nos mantenham na realidade”, destacou.

Comentarista da Rádio CBN no programa Liberdade de Expressão, Viviane Mosé é autora de diversos livros, como Stela do Patrocínio – Reino dos bichos e dos animais é o meu nome (Azougue, 2002) e O homem que sabe (Civilização Brasileira, 2011). Em 2005 e 2006, também desenvolveu e escreveu com Daniel Duarte o quadro Ser ou Não Ser, do programa Fantástico (TV Globo), que discutia temáticas filosóficas em uma linguagem cotidiana.