Documento é fundamental para contratação da PAR; erros no formulário podem anular benefício

Quando um participante da Funpresp decide contratar a Parcela Adicional de Risco (seguro de vida e invalidez) é preciso preencher o formulário de contratação com perguntas sobre o estado de saúde e hábitos de vida. Nesse questionário, chamado Declaração Pessoal de Saúde, constam também perguntas sobre existência de doenças, tratamentos médicos e uso de medicamentos.

Caso o contratante responda SIM a algumas situações relacionadas a condições e problemas de saúde, poderão ser solicitados exames médicos ou outros documentos para complementar a análise do risco, não implicando necessariamente na recusa da sua aceitação. Conforme informado no requerimento de contratação, há a prerrogativa de se aceitar ou não a solicitação de contratação da Parcela Adicional de Risco, baseado na análise das informações prestadas.

É importante lembrar que, caso o participante preste informação inexata ou omita dados ou circunstâncias relevantes solicitados na Declaração Pessoal de Saúde, poderá perder o direito de recebimento da cobertura contratada em caso de morte ou invalidez. Dessa forma, para não correr o risco de ter indeferida a concessão dos valores contratados, é preciso prestar uma declaração pessoal de saúde idônea, exata, de boa-fé e sem omissões para que se faça uma correta análise e aceitação da Parcela Adicional de Risco, proposta pelo participante por meio do requerimento de contratação.