Brasília, 17/08/2017 – Para esclarecer pontos importantes sobre a previdência complementar dos docentes federais, a Funpresp lançou nesta semana a terceira edição da cartilha Previdência Complementar do Professor. Elaborada no formato de perguntas e respostas, a publicação traz informações sobre adesão, contribuições, investimentos, entre outros tópicos relevantes.

Os professores federais que entraram no serviço público a partir de 4 de fevereiro de 2013 estão sujeitos ao novo regime previdenciário, o Regime de Previdência Complementar (RPC), tendo sua aposentadoria limitada ao teto do INSS (R$ 5.531,31, em 2017). Para complementar sua renda na aposentadoria e planejar o futuro com mais tranquilidade, esses professores podem aderir à Funpresp com direito à contrapartida da União.

Como explica a cartilha, essa adesão traz ainda uma série de vantagens ao professor, como benefício fiscal todos os meses, direto no contracheque, e cobertura por morte, invalidez e sobrevida. Os docentes de ensino fundamental e médio também contam com uma cobertura adicional pelo Fundo Coletivo de Benefícios Extraordinários (FCBE), uma vez que têm direito à aposentadoria especial e contribuem para a previdência complementar por menos tempo.

Para ler a cartilha e tirar dúvidas com relação a aposentadoria complementar, clique aqui.