fbpx

Brasília, 14/06/2017 – O Café Funpresp – Ciclo de Palestras trouxe ao auditório da Entidade nesta quinta-feira (01/06) a advogada e professora de Direito Tributário e Previdência Complementar Patrícia Linhares para falar sobre tributação nos fundos de pensão. Ela abordou os impactos dos impostos sobre a pessoa física (participantes e assistidos) e sobre a pessoa jurídica (entidades).

Os participantes recebem um incentivo fiscal durante a fase contributiva, em forma de diferimento do Imposto de Renda. Patrícia explicou que o recolhimento do Imposto de Renda só ocorre na fase de gozo do benefício ou no resgate. “Porém, a escolha pelo regime que definirá a alíquota a ser aplicada no futuro é feita no momento da contratação do plano”, esclareceu Patrícia.

Quando o servidor escolhe fazer uma poupança previdenciária, o participante pode optar entre os regimes progressivo e regressivo. No progressivo, a alíquota aumenta de acordo com a renda. O regressivo leva em consideração o tempo de contribuição.

“No momento da escolha do regime é necessário fazer uma projeção e se imaginar no futuro. Diversas variáveis vão definir qual a melhor escolha para o participante”, destaca a professora. “Ele tem que pensar se vai passar muito tempo no serviço público, se, quando for se aposentar, vai ter rendimentos tributáveis que vão impactar no ajuste do Imposto de Renda, se vai continuar gerando renda no momento do benefício… Tudo isso deve ser avaliado para que a melhor opção seja feita”, completou.

Café Funpresp – O ciclo de palestras traz à Funpresp convidados para falar sobre diversos temas aos empregados e colaboradores da Fundação. A atividade faz parte do Plano Anual de Capacitação.